Fale Conosco : (45) 3025-1313

GREVE DEPOIS DA COPA? CENTRAIS SINDICAIS QUEREM REVOGAR REFORMAS DE TEMER

06/07/2018

Centrais sindicais do país se unem contra pontos da reforma trabalhista e marcam mobilização nacional para agosto (Filipe Albuquerque)

Documento elaborado por sete centrais sindicais exige ações imediatas de combate ao desemprego e a revogação de reformas feitas pelo governo do presidente Michel Temer, incluindo alguns itens da reforma trabalhista e da emenda que estabelece o teto de gastos públicos. As entidades agendaram para o dia 10 de agosto uma mobilização nacional – o “Dia Nacional de Luta” –, com possibilidade de greves pelo país.

O manifesto “Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora” foi apresentado nesta quarta-feira (6) em reunião com as entidades, em São Paulo. CUT, Força Sindical, Intersindical, UGT, CTB, CSB e NCST assinam o material, que conta com 22 propostas e deve ser entregue no próximo dia 13 ao Congresso Nacional. O material será encaminhado também aos candidatos à Presidência da República.

Sinal de alerta
“O dia 10 é um dia de mobilização, de protesto, por tudo o que tem acontecido no país, com foco principal na questão do desemprego, flagelo maior para a classe trabalhadora”, explica Sérgio Nobre, secretário-geral da CUT, para quem a data servirá de alerta para o país. “Estamos chamando do dia do basta. Quem puder fazer greve, tem que fazer greve; quem puder fazer manifestação, ocupar praças, ruas, que faça. Queremos paz, emprego. Do jeito que estamos, não dá”, acrescenta.

A ideia é que o dia seja marcado por manifestações pelo país, que podem incluir a paralisação de empresas e de categorias, ainda não definidas. “É pelo país. Queremos a retomada das medidas sociais que foram benéficas para o povo”.

“A pauta da manifestação está vinculada ao documento”, complementa Adilson Araújo, presidente da CTB. “O destaque é a questão da revogação da legislação trabalhista porque ela é prejudicial para a classe trabalhadora, e também para a emenda do teto de gastos”, informa.

Além dos pedidos de revogação das reformas e de adoção de medidas emergenciais pela recuperação do emprego, o documento retoma a briga dos sindicatos por jornada de trabalho de 40 horas semanais, mais a possibilidade de fixação de contribuição sindical voluntária definida em assembleia, a regulação do direito de negociação coletiva para os servidores públicos em todas as esferas do governo, reforma tributária progressiva, com revisão dos impostos de consumo e aumento sobre os tributos relativos ao patrimônio, herança, lucros e dividendos, e a retomada de obras de infraestrutura. (Fonte: Gazeta do Povo) do site FEEB-PR




  Email

  secretaria@sindicatobancariosfoz.com.br

  Telefone

(45) 3025-1313

Nossa Localização

Av. Jorge Schimmelpheng, 600
Sala 205, Ed. Center Foz, Centro
CEP 85851-110 | Foz do Iguaçu | Paraná

FILIE-SE

Fortaleça seu sindicato!

Todos direitos reservados a Sindicato dos Bancarios Foz - Copy right 2017 | Developed